Da pintura ao ar livre para o ateliê


Não há mestre maior que a Natureza quando se quer aprender a pintar. Não importa em que estilo seja a expressão do artista, nada substitui a observação do Natural.

Já escrevi sobre o assunto várias vezes e sempre que sou questionada sobre por quê pintar ao ar livre tenho respostas mais longas ou mais curtas, mas sempre reitero que o ateliê não substitui o natural e o contrário é também verdadeiro.
Terminei recentemente a pintura que posto a seguir. É uma obra de dimensões mais difíceis para executar ao ar livre pois além da logística do transporte, envolveria muitas sessões.

Vitória Régia - A Estrela das águas
óleo sobre tela 180 x 80 cm
Sandra Nunes

Na próxima postagem mostrarei os estudos composicionais em várias técnicas que deram origem a esta obra.
Com os votos de Boas Festas e um Ano Novo repleto de Saúde, Luz e Paz!


Sandra Nunes
Vitória Régia - A estrela das águas
óleo sobre tela 180x80 cm












Posted bySandra Nunes at 08:28 0 comments Links to this post  

Arte e Viagens parte 3

Como artista, estou sempre buscando superar limites, pesquisando novas técnicas e materias. É  um caminho mais difícil que ficar na própria zona de conforto e continuar fazendo o que sempre  fez, o que importa é esta busca do aprendizado constante e ter metas, na verdade é a viagem que conta e não o destino,  eu tenho vivido belos momentos e gostado bastante desta minha caminhada.

Prosseguindo com o tema, na postagem anterior mencionei as tintas a óleo Cobra Solvent Free(leia aqui) a praticidade em não precisar transportar e utilizar solvente em viagem  aliada ao bom desempenho desta tinta me conquistou e pretendo aos poucos ir aumentando a minha paleta e adicioná-la ao meu trabalho no ateliê.

Arches Huile

Um outro material que utilizei pela primeira vez foi o papel Arches Huile 300gsm 100% algodão.  Especialmente preparado para a pintura a óleo este papel oferece uma bela textura. Sua preparação resulta em uma barreira eficiente, absorvendo bem a água ou solvente de maneira uniforme. Ele resiste bem à pinceladas vigorosas , espátula ou esfregaço. Sua grande vantagem também é poder utilizá-lo no tamanho desejado pois é comercializado em folhas, rolo ou blocos A3 e A4.



Em Paris decidi utilizá-lo com as tintas Cobra solúveis em água. Para o meu método de trabalho este papel  mostrou-se um pouco mais absorvente que o suporte que eu preparo.

Sandra Nunes
Canal San Martin- Paris

Iniciei esta mancha em um fim de tarde chuvoso na varanda do apartamento. Os telhados de Paris sempre me atraem e esta tarde estavam especialmente belos sob um céu cinzento que mudava a todo momento. Queria capturar a fugacidade da atmosfera apenas sugerindo com pinceladas sintéticas a arquitetura dos telhados parisienses. Decidi parar neste momento da mancha para testemunhar o presente de um belíssimo pôr de sol.


Telhados de Paris - Pôr do sol
  Cobra Oleo solvent free sobre Arches Huile

Para ler desde o início Arte e Viagens parte 1
                                    Arte e Viagens parte 2



Posted bySandra Nunes at 13:48 0 comments Links to this post  

Arte e Viagens - parte 2



Além do aprendizado com os grandes mestres como escrevi na postagem anterior (leia aqui), ter a oportunidade de produzir meu trabalho em ambientes diferenciados facilita o exercício de um olhar mais atento às sutilezas do ambiente ao tentar capturar a atmosfera local.
Acrescenta-se ainda a possibilidade de expandir a experimentação de novas técnicas com a disponibilidade  de materiais recém-lançados e/ou ainda não disponíveis no mercado nacional. Estou sempre procurando materiais de alta qualidade para trabalhar, para mim não só o resultado imediato como também a permanência é importante.Afinal, eu desejo que meu trabalho sobreviva por muito tempo.
Pintar a óleo em viagem pode apresentar algumas dificuldades desde a limpeza dos pincéis utilizando solventes em ambientes inapropriados, com pouca ventilação, como quartos de hotel  até o acondicionamento e  transporte das obras que ainda não secaram. Como se sabe, o tempo de secagem da pintura a óleo está subordinado à muitas variáveis ( possivelmente, em uma outra postagem  falarei mais sobre isto)

Em busca de um caminho ecologicamente correto e mais viável para estas circunstâncias, há alguns anos experimentei as tintas a óleo solúveis em água. Testei as da Winsor and Newton (Artisan), as da Talens H2oil e Grumbacher Max. Nenhuma delas me satisfez por uma razão ou outra.No quesito concentração de pigmentos, por exemplo, todas as marcas mostraram-se aquém de uma tinta da linha profissional.

Cobra Solvent Free - 

Este ano fui apresentada em Amsterdam à Cobra Solvent Free, lançamento da nova geração da Royal Talens miscível em água. Estas tintas são fabricadas tanto na linha profissional(Cobra fine) quanto na de estudante (Cobra study). Eu testei apenas a linha profissional.
Pintando no Jardin de Tulleries - Paris
Sandra Nunes
Fiquei positivamente impressionada com a qualidade desta tinta e o fato de não utilizar solvente foi um bom diferencial.Ao contrário do que se pode pensar, não há água em sua composição, a princípio ela se comporta de maneira diferente das tradicionais, mas após a compreensão de seu manuseio na paleta e na tela descortina-se um novo mundo e o resultado nada fica a dever.
Todas as minhas pinturas em viagem são feitas alla prima, trabalhos finalizados em uma só sessão.




Há alguns mediuns auxiliares para trabalhar com esta tinta, mas ainda não os testei. Todos os trabalhos desta viagem foram executados  com a tinta pura e pouquíssima água para diluir inicialmente.

Sandra Nunes
Pintando em  Honfleur,
Normandia

Sandra Nunes
´Pintando em  Honfleur,
Normandie



Leia a primeira parte de Arte e viagens aqui

Continuo este assunto na próxima postagem... 



Posted bySandra Nunes at 21:32 0 comments Links to this post  

Arte e Viagens



Com o crescimento do Facebook, tenho postado menos aqui. Privilegiar as postagens na rede social foi o caminho natural por seu retorno imediato em tempo real. Mas ainda cultivo o gosto pela escrita e leitura de textos mais longos.
Vou manter este espaço, bem como o meu website, para este tipo de interação postando com a frequência que for possível um pouco do meu processo criativo.
Reinicio então com alguns momentos vividos em minha recente viagem…

Holanda

Revisitando Rembrandt, desta vez no Rijksmuseum - Amsterdam

A Ronda Noturna
The Night Watch
Rembrandt at RijksmuseuMUseuM
O mesmo tema, desta vez  tratado por Frans Hals



Banquete dos Oficiais da Companhia Miliciana São Jorge - Frans Hals Museum - Haarlem*
Estudando as pinceladas magistrais de Frans HalsFrans Hals Museum - Haarlem


Viajar e estar exposta à culturas diversas, pintando ao ar livre tem sido uma grande experiência. Além do aprendizado com os grandes mestres, estudando suas obras no original, ter a oportunidade de produzir o meu trabalho em ambientes diferenciados facilita o exercício de um 



olhar mais atento às sutilezas do ambiente ao tentar captar a atmosfera local.
Pintando em Amsterdam
Sandra Nunes



Continue lendo a segunda parte aqui



Posted bySandra Nunes at 16:24 0 comments Links to this post  

Chegada da Primavera

A Flor do Sol
É perfeitamente compreensível a paixão de Van Gogh pelos girassóis, esta é uma flor que nasce bonita, vive sua plenitude lindamente e ao morrer consegue se tornar ainda mais bela. Seus matizes quentes começam a tornar-se  agrisados, suas folhas se retorcem como um balé em uma dança circular.
Tive o privilégio de conviver alguns dias com estes e ontem decidi capturar seus últimos minutos de vida.

Primavera
pastel seco
Sandra Nunes
27x35 cm


Posted bySandra Nunes at 14:26 0 comments Links to this post  

Urca - Castelinho Normando

Quem visita meu website há algum tempo percebe que uma das minhas inspirações tem sido com bastante frequência a Urca. Percorrer este bairro de 17 ruas de bicicleta ou a pé faz parte do meu cotidiano, por vezes registrando nas telas e no papel este ritmo totalmente diferente dos bairros vizinhos

Urca, Castelinho Normando
Sandra Nunes
óleo sobre tela 53 x 74cm

Posted bySandra Nunes at 14:55 0 comments Links to this post  

Santa Teresa - Rua Almirante Alexandrino

Quatro anos se passaram desde que Santa Teresa ficou mais triste sem os seus bondinhos circulando. Neste momento, um dos bairros mais charmosos do Rio de Janeiro encontra-se em obras para receber os novos e tão esperados veículos.Eles começam a circular por um pequeno trecho em fase experimental

Aos poucos tenho retomado as pinturas desta coleção que tanto me dá prazer em pintar, tenho feito novas composições, revisitado outras e, em ritmo que combina com o do bairro, vou adicionando algumas obras aqui no Blog e no website. Agradeço a todos que me acompanham nesta viagem pictórica!

Rua Almirante Alexandrino
óeo sobre tela 1.20  m x 90 cm
Sandra Nunes


Posted bySandra Nunes at 19:39 0 comments Links to this post  

Arte de Portas Abertas 2015

Gratidão a todos que estiveram no Centro Cultural Laurinda Santos Lobo  durante este final de semana e transformaram o evento em uma grande festa. Foi ótimo reencontrar velhos amigos e fazer novos. Para os que não puderam ir ou que desejem revisitar, a exposição segue até 30 de agosto de terça-feira a domingo - 10 às 17 horas apresentando meus trabalhos mais recentes.

Centro Cultural Laurinda Santos Lobo, Rua Monte Alegre 306 - Santa Teresa
Noite de Abertura
Arte de Portas Abertas 2015
Centro Cutural Laurinda Santos Lobo
Sandra Nunes


Arte de Portas Abertas 2015
Centro Cultural Laurinda Santos Lobo
Sandra Nunes

Arte de Portas Abertas 2015
Centro Cultural Laurinda Santos Lobo
Sandra Nunes


Posted bySandra Nunes at 13:32 0 comments Links to this post  

Vitória Régia



Há uma lenda Tupi Guarani sobre a vitória régia que eu acho muito bonita.
Conta que  no começo do mundo sempre que a Lua (Jaci)  se escondia no horizonte levava uma jovem e a transformava em estrela no céu. Naiá, princesa da tribo,  apaixonada pelo brilho da Lua, ao ouvir esta lenda após todos adormecerem subia a montanha na esperança de que a lua a visse.
Mas a Lua não parecia notá-la nem ouvir seu lamento. Um dia Naiá viu o reflexo da lua nas águas límpidas do lago e imaginando que a ela teria vindo buscá-la atirou-se na água e nunca mais foi vista.
A Lua, desejando recompensar o sacrifício da jovem, decidiu torná-la uma estrela diferente das que brilham no céu, transformou-a na "Estrela das Águas " que é a vitória-régia. Esta flor branca só se abre à noite e ao entardecer torna-se rosada e morre.

Gosto muito de ir ao Jardim Botânico e a Estrela das Águas  desta vez chamou a minha atenção nesta composição

Estrela das águas -Sandra Nunes
- óleo sobre tela 40 x 120 cm

Posted bySandra Nunes at 07:33 0 comments Links to this post  

Verão Carioca- Floração dos Flamboyants

Junto com o inacreditável calor, o verão chega explodindo em cor com a floração exuberante dos Flamboyants espalhados pela cidade.
Estas ávores têm chamado minha atenção há alguns dias  e o pastel seco me pareceu ser a técnica adequada para fazer justiça a estas flores de cores tão vibrantes, banhadas pelo sol carioca.

Verão Carioca - Floração dos Flamboyants
Sandra Nunes
Pastel seco 35 x 61 cm

Posted bySandra Nunes at 20:26 0 comments Links to this post  

Kandinsky - Tudo começa num ponto

Em exibição no Centro Cultural Banco do Brasil, a exposição Kandinsky, " Tudo começa num ponto", traz para o Rio de Janeiro obras daquele que é considerado pioneiro da arte abstrata. São obras provenientes do Museu Estatal Russo de São Petersburgo e outros.
Uma boa oportunidade de ver de perto trabalhos que mostram a transição que Kandinsky fez da arte figurativa para a abstração.
Wassily Kandinsky
Igreja Vermelha -
óleo s/ madeira
1901/03
Wassily Kandinsky
O Rio no Outono
óleo s/ madeira
1901/03

Kandinsky foi fortemente influenciado por Claude Monet  pela maneira que este utilizava manchas de cores parecendo ser independentes do objeto representado. Nesta exposição estão trabalhos iniciais do artista que a exemplo do Mestre Francês, pinta a mesma cena em estações do ano distintas.

Presentes nesta mostra estão também alguns contemporâneos, seguidores e artistas que o influenciaram


Apollinary Vasnetov - 1900
A Velha Moscow
(uma rua em KitaiGorod no século XVII)

Alexander Borisov - 1904
Eclipse Total de  1896 em Nova Zembla
óleo sobre tela


Um bom exemplo da transição de Kandinsky do Figurativo para o Abstrato está nesta obra:
Wassily Kandinsky -1911
São Jorge
óleo sobre tela

Quem visistar esta exposição terá oportunidade de observar muito mais etapas da vida artística de Kandinsky, a influência recebida do Xamanismo, da música, da arte popular...

Correspondeência de Kandinsky com  o compositor Arnold Schönberg
 Arnold Schönberg visava libertar a composição musical de formas estabelecidas, tal como Kandinsky que buscou, ao abandonar a figuração, assumir as propriedades não representativas da forma e da cor para desta maneira satisfazer a "necessidade interior".

" A cor é um meio para exercer uma influência direta sobre a alma. A cor é a tecla; o olho o martelo. A alma, o instrumento das mil cordas. O artista é a mão que, ao tocar nesta ou naquela tecla, obtém da alma a vibração justa. A alma humana, tocada no seu ponto mais sensível, responde." Wassily Kandinsky- in  Do Espiritual da Arte

Wassily Kandinsky -Composição 1916
óleo sobre tela
Wassily Kandinsky -On White 1920
óleo sobre tela





Posted bySandra Nunes at 21:33 0 comments Links to this post  

 
Copyright 2007 | Andreas08v2 by GeckoandFly and TemplatesForYou | Design by Andreas Viklund
TFY Burajiru